Portuguese English Spanish
Interface
Adjust the interface to make it easier to use for different conditions.
This renders the document in high contrast mode.
This renders the document as white on black
This can help those with trouble processing rapid screen movements.
This loads a font easier to read for people with dyslexia.
Busca Avançada
Você está aqui: Pesquisa » Laboratórios » Laboratório de Fisiologia Bacteriana

Laboratório de Fisiologia Bacteriana

 Criado em 1967, o Laboratório de Fisiologia Bacteriana do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) tem como objetivo a realização de pesquisas, a identificação e a caracterização morfológica, bioquímica, fisiológica, molecular e histopatológica de bactérias esporuladas do gênero Bacillus e gêneros correlatos, de interesse para a saúde pública e vigilância sanitária.

O Laboratório também realiza pesquisa sobre a utilização de processos fermentativos para a produção de inseticidas bacterianos, e atua como curador técnico e científico da Coleção de Culturas do Gênero Bacillus e Gêneros Correlatos do IOC. Atua, ainda, como Referência Nacional para Carbúnculo junto ao Ministério da Saúde - em especial na área de bioterrorismo, envolvendo o Bacillus anthracis.

Entre suas linhas de pesquisa, o Laboratório dedica-se ao isolamento de linhagens do gênero Bacillus e gêneros correlatos e busca linhagens com propriedade específicas - larvicida, antibiótica e lipolítica, por exemplo. Analisa, além disso, a presença de Bacillus thuringiensis em vegetais e frutas frescas, de fontes naturais e de inseticidas, avaliando a produção de enterotoxinas desses dois grupos, além de analisar polimorfismos genéticos em Bacillus, para estudar a similaridade genética existente dentro do complexo B. cereus e identificar espécies patogênicas ou potencialmente patogênicas.

O Laboratório desenvolve um projeto para utilização de bactérias no manejo integrado de insetos vetores de agentes patogênicos, em parceria com a Fiocruz/Pernambuco. O objetivo da colaboração é estabelecer metodologia de obtenção de formulações que demonstrem elevada dispersão em meio aquoso e a alta atividade biológica por longos espaços de tempo no meio ambiente. A partir da cepa B. thuringiensis sorovar israelensis, desenvolveu formulação inseticida que foi patenteada junto ao INPI (PI: 890938). Partindo da cepa de B.sphaericus 2362, também produziu formulação ativa contra Culex quinquefasciatus (PI: 9501166). Ambas são concentrados emulsionáveis de alta potência que tiveram os meios de cultura e condições de fermentação desenvolvidas in loco, durando esse procedimento até 22-24h.

Outras colaborações do Laboratório são com a Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), em pesquisa básica e aplicada com Bacillus entompatogênicos, e com o Laboratório de Malacologia do IOC, na avaliação da toxicidade e letalidade de Brevibacillus laterosporus em moluscos límnicos e terrestres. Seus pesquisadores participam, ainda, de estudo que visa o desenvolvimento de biocida para o controle do crescimento microbiano associado ao souring e à corrosão microbiológica, para utilização na área de saúde e ambiente da indústria do petróleo.

Coleção de Culturas do Gênero Bacillus e Gêneros Correlatos, filiada à World Federation of Culture Collection (WFCC) desde 1989, conta com espécies de interesse biotecnológico, produtoras de substâncias com atividade antimicrobiana, de interesse em vigilância sanitária e controle epidemiológico, produtoras de toxinas e outros fatores de virulência, de interesse para produção de bioinseticida. Dentre as atividades do Laboratório relacionadas à Coleção, estão a manutenção e liofilização de novos isolados e de cepas provenientes de outras instituições e a realização de serviços especializados de identificação taxonômica.