Portuguese English Spanish
Interface
Adjust the interface to make it easier to use for different conditions.
This renders the document in high contrast mode.
This renders the document as white on black
This can help those with trouble processing rapid screen movements.
This loads a font easier to read for people with dyslexia.

vw_cabecalho_novo

Busca Avançada
Você está aqui: Pesquisa » Laboratórios » Laboratório de Esquistossomose Experimental (vigente até jan/23)

Laboratório de Esquistossomose Experimental (vigente até jan/23)

O Laboratório de Esquistossomose Experimental (LEE) do IOC se dedica, desde a década de 1980, ao desenvolvimento da vacina brasileira contra a esquistossomose e fasciolose, a partir do antígeno recombinante Sm14. Essa proteína foi o único candidato vacinal para Esquistossomose selecionado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que emergiu de um país endêmico para a doença.

O projeto Sm14, além do alto teor de inovação, se insere e atende a uma área prioritária da saúde e biotecnologia nacionais; é bem consolidado; tem objetivos e foco absolutamente definidos; e é de interesse global e bem sucedido. Fruto de pesquisa nacional, desenvolvida dentro do IOC com parcerias especificas, o projeto teve, na última década, a participação do setor privado, acelerando a transição da fase experimental para a pesquisa clínica.

O projeto Sm14 segue seu curso, tendo sido ultrapassadas as dificuldades inerentes ao escalonamento do processo de produção da molécula, produção do Lote GMP e realização dos primeiros testes clínicos; e Fase 1 em voluntários saudáveis do sexo masculino (Fase 1A - CE# 990768/10-8) e feminino (Fase 1B - CE # 154.315), ambos autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). O antígeno se mostrou absolutamente seguro sem que houvesse evidência nestes estudos de que o mesmo pudesse causar eventos adversos sistêmicos graves ou qualquer toxicidade (Santini-Oliveira, et al., 2016).

Atualmente, a empresa Orygen Biotecnologia S.A. é parceira da Fiocruz no desenvolvimento da vacina humana com base no Sm14.

Subprojetos que ampliam a área de conhecimento e informação gerada pelo efetivo desenvolvimento das vacinas (humana e veterinária) contra a esquistossomose e fasciolose são desenvolvidos no LEE/IOC para fortalecer o eixo principal do projeto Sm14:
1 – Estudos sobre parâmetros biológicos e impactos na dinâmica de manutenção do ciclo biológico do S. mansoni em camundongos a partir de material parasitário derivado de animais vacinados com Sm14;
2 – Atividade protetora e imunogênica da Sm14 na infecção por outros parasitas de importância humana e veterinária, com base na ampla presença de homólogos da família das FABPS em praticamente todos os helmintos;
3 – Desenvolvimento da plataforma experimental baseada na expressão in vivo do antígeno Sm14 do Schistosoma mansoni pela vacina BCG geneticamente modificada (BCG ΔleuD/p∆Kan-hsp60*-Sm14), objeto de uma das famílias de patentes da Fiocruz para o Sm14.

No ano de 2015, o LEE passou a contar com uma nova linha de pesquisa, voltada para o desenvolvimento de potencial biofármaco derivado de endostatina, atuante em patologias dependentes de angiogênese como câncer, degeneração macular, retinopatia diabética, artrite reumatoide, entre outras. O projeto ‘Desenvolvimento do produto biotecnológico endostatina humana recombinante oligomerável (ESBR-74) para inibição e regressão de angiogênese patológica’ realizará modelagem e dinâmica molecular para o desenvolvimento de Biofármacos anti-angiogênicos e antígenos vacinais. Ele também desenvolverá atividades por meio de técnicas computacionais de modelagem biofísica, simulações de dinâmica molecular, engenharia de proteínas e técnicas de bioprocessamento para expressão e purificação de proteína recombinante, além da otimização de estabilidade e imunogenicidade de antígenos vacinais.