Portuguese English Spanish
Interface
Adjust the interface to make it easier to use for different conditions.
This renders the document in high contrast mode.
This renders the document as white on black
This can help those with trouble processing rapid screen movements.
This loads a font easier to read for people with dyslexia.

vw_cabecalho_novo

Busca Avançada
Você está aqui: Notícias » Instituto realiza cerimônia de transmissão de cargo de Diretoria

Instituto realiza cerimônia de transmissão de cargo de Diretoria

Tania Cremonini de Araújo-Jorge tomou posse como a diretora eleita para a gestão 2021-2025. Solenidade integrou evento virtual pelo aniversário de 121 anos do IOC
Por Max Gomes, Maíra Menezes e Kadu Cayres02/06/2021 - Atualizado em 28/06/2022

Para celebrar os 121 anos de fundação, completados no último dia 25 de maio, em data conjunta com a Fundação Oswaldo Cruz, o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) realizou um evento virtual nesta quarta-feira, dia 02 de junho. Na cerimônia, transmitida ao vivo pelo Canal do IOC no YouTube, foi realizada a transmissão de cargo do atual diretor do IOC, José Paulo Gagliardi Leite (gestão 2017-2021), para a diretora eleita a partir de processo eleitoral, Tania Cremonini de Araújo-Jorge (gestão 2021-2025). Clique aqui e fique por dentro de todas as informações sobre a eleição IOC 2021.

Assista à transmissão completa:

Respeitando as medidas sanitárias vigentes, com distanciamento social e ventilação adequados e utilização de máscara, a atividade contou com a participação da presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima. Na plateia virtual, além de membros do Conselho Deliberativo do IOC, estavam o assessor de Relações Institucionais do Gabinete da Presidência da Fiocruz, Valber da Silva Frutuoso; o professor da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ) e escritor, João Cândido Portinari; o presidente do Conselho Regional de Biologia da 2ª Região (CRBio-02), Vicente Moreira Conte; a diretora de Pesquisa do Instituto Pasteur, Paola Minoprio; o professor do Programa de Virologia da Faculdade de Medicina da Universidade do Chile, Aldo Gaggero; o pesquisador e diretor do Instituto Aggeu Magalhães (Fiocruz Pernambuco), Sinval Pinto Brandão Filho; e o ex-deputado federal, Paulo Rubens Santiago Ferreira.

Também compuseram a plateia virtual, Ligia Bahia e Alexandre Brasil Carvalho da Fonseca, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Hermano Castro, da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/Fiocruz); Valdilea Gonçalves Veloso dos Santos, diretora do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz); Helena Castro, vice-diretora do Instituto de Biologia da Universidade Federal Fluminense (Uff); e Eliane Cerdas Labarce, da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul.

Da direita para a esquerda: Tânia Cremonini Araújo-Jorge, diretora do IOC eleita para a gestão 2021-2025; Nísia Trindade Lima, presidente da Fiocruz; José Paulo Gagliardi Leite, diretor do IOC eleito para a gestão no período 2017 a 2021. Foto: Gutemberg Brito (IOC/Fiocruz)
 

Para a abertura da solenidade foi executado o Hino Nacional Brasileiro, interpretado por músicos da Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí, no campus da Fiocruz em Petrópolis (RJ), composta por jovens de escola pública, iniciantes na carreira musical, regidos e coordenados por Celso Franzen.

Em seguida, a consternação diante da tragédia humana relacionada à pandemia de Covid-19 foi reconhecida com um minuto de silêncio. Como forma de solidariedade a todas as vítimas e familiares do novo coronavírus, uma homenagem audiovisual contabilizou cada uma das mais de 465 mil vidas perdidas.

Também foi reexibido o vídeo memorial originalmente lançado pelo Instituto em 11 de março, quando a declaração da pandemia da Covid-19 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) completou um ano.

Emocionado, o diretor do Instituto Oswaldo Cruz eleito para a gestão 2017 - 2021, José Paulo Gagliardi Leite, iniciou seu discurso destacando a trajetória centenária do IOC e demonstrando seu orgulho pelo trabalho desempenhado pelo Instituto, com ênfase no período da pandemia da Covid-19.

“Desde o início desta sindemia provocada pelo novo coronavírus, o SARS-CoV-2, agente etiológico da Covid-19, o IOC e a Fiocruz colocaram as suas reconhecidas capacidades e competência em pesquisa, diagnóstico, ensino, assistência e produção a serviço deste grande desafio mundial”, afirmou o diretor. “É com a Ciência que estamos enfrentando a mais grave crise sanitária da história. Temos em nosso DNA a certeza de que são os desafios que nos impulsionam adiante e nos fazem mais fortes”, completou.

José Paulo estendeu sua gratidão aos esforços e empenho dos mais diversos setores do IOC e da Fiocruz. “O nosso agradecimento e reconhecimento, aos profissionais da pesquisa, do ensino, da assistência, dos laboratórios de referência, das coleções, da comunicação, da gestão, da TI, aos colaboradores terceirizados e estudantes, que trabalharam e trabalham para manter o IOC e a Fiocruz ativos e na luta para ajudar a debelar esta sindemia. É o IOC e a Fiocruz, mais uma vez, cumprindo o seu papel histórico, fazendo valer o papel estratégico da instituição no fortalecimento do SUS”, ressaltou.

O diretor se solidarizou, ainda, com as vidas acometidas pela Covid-19. “Reiteramos nossa solidariedade a todas as pessoas que perderam um ente amado e querido em suas famílias, vítimas desta síndrome. Aqui no IOC e na Fiocruz não foi diferente. Perdemos amigos e colegas, que se foram e que deixaram o nosso coração apertado e sem a possibilidade de um abraço e de palavras de carinho e de conforto”, lamentou.

José Paulo Gagliardi Leite, diretor do IOC da gestão 2017-2021. Foto: Reprodução Canal IOC
 

A presidente da Fundação destacou a importância da realização da cerimônia de transmissão de Diretoria, mesmo diante do momento delicado que o mundo atravessa. “Em nossa instituição, os ritos de passagem de uma Diretoria para a outra foram sempre marcados por muita emoção e festividade. No entanto, diante da pandemia de Covid-19, não foi o que pudemos fazer. Mas, como bem colocou o meu colega José Paulo Gagliardi Leite, é também praxe na instituição trazer uma mensagem de esperança, que se dá pelo nosso compromisso democrático com a ciência, com o Sistema Único de Saúde (SUS) e com a solidariedade em nível global”, declarou.

Confira o discurso de Nísia Trindade Lima:

“Desejo um excelente trabalho à gestão que se inicia sob o comando da pesquisadora Tania Cremonini de Araujo-Jorge. Que seja um processo profícuo de construção conjunta, que permita ao IOC e à Fiocruz avançar naquilo que é a nossa missão: ciência a serviço da população brasileira”, acrescentou.

Nísia Trindade Lima, presidente da Fiocruz. Foto: Reprodução Canal IOC
 

Processo eleitoral e transmissão de cargo
O Instituto Oswaldo Cruz pauta a escolha de seus dirigentes em um processo eleitoral, cuja participação de centenas de integrantes da comunidade IOC no debate e na definição dos rumos do Instituto é de extrema importância.

O processo eleitoral para a escolha da gestão 2021-2025 contou com o primeiro processo de votação online na história do Instituto, realizada nos dias 10 e 11 de maio. O resultado das urnas foi homologado no dia 14 de maio pelo Conselho Deliberativo da Unidade, com a escolha de Tania Araújo-Jorge como a candidata mais votada, com 56,87% dos votos válidos (379,20 votos).

No discurso de transmissão de cargo, o diretor eleito para a gestão 2017-2021, José Paulo Gagliardi Leite, desejou que a próxima gestão seja de muito sucesso, muita unidade e muitas respostas. “Tânia e equipe, vocês bem sabem que assumir um cargo público neste momento de sindemia, de tristeza, de incertezas e de angústias não é uma tarefa trivial. Mas com a competência, dedicação, experiência e compromisso institucional que vocês têm, temos a certeza de que vocês irão superar estes e os futuros desafios e farão uma excelente gestão à frente do IOC. Desejamos muita força, superação e novas conquistas institucionais nestes próximos quatro anos”, projetou.

Confira o discurso de José Paulo Gagliardi Leite:

Na ocasião, José Paulo agradeceu os quatro anos de intensa dedicação dos vice-diretores Jonas Enrique Perales Aguilar (Pesquisa, Desenvolvimento tecnológico e Inovação); Elizabeth Ferreira Rangel (Serviços de Referência, Ambulatórios e Coleções Biológicas); Wania Regina Tolentino Santiago (Desenvolvimento Institucional e Gestão); e Marcelo Alves Pinto (Ensino, Informação e Comunicação).

José Paulo Gagliardi Leite e vice-diretores da gestão 2017-2021. Foto: Reprodução Canal IOC
 

“Vivemos, intensamente, estes quatro anos na gestão do principal instituto de pesquisa científica na área da saúde da América Latina. Recebemos o legado das gestões anteriores, aprimoramos e criamos novos processos institucionais. A próxima gestão irá aprimorar e criar novos processos e, assim, o IOC se consolida e contribui, cada vez mais, para a Ciência, para a formação de cidadãos com elevada qualificação, para o fortalecimento do SUS e contribuições para a melhoria da Saúde da população brasileira e mundial e, assim, consolidando a missão institucional”, concluiu José Paulo Gagliardi Leite.

Na sequência, foi realizada a assinatura do Livro de Ouro por José Paulo Gagliardi (diretor – Gestão 2017-2021), Tania Araújo-Jorge (diretora – Gestão 2021-2025), e pela presidente da Fundação, Nísia Trindade. A assinatura representa o registro simbólico da transmissão do cargo de diretor do Instituto.

Assinam o livro de ouro, da esquerda pra direita, José Paulo Gagliardi Leite diretor eleito para gestão 2017-2021; Tania Cremonini de Araújo-Jorge, diretora eleita para a gestão 2021-2025; e Nísia Trindade Lima, presidente da Fiocruz. Foto: Captura de tela (Canal IOC)


Após a assinatura, a nova diretora, Tania Cremonini de Araújo-Jorge, saudou a comunidade do Instituto e apresentou os compromissos para a gestão 2021-2025 em seu discurso de posse. Primeira mulher a assumir a Diretoria do IOC, no ano de 2005, e única mulher a assumir o cargo até o momento, Tania será a primeira pesquisadora a assumir um terceiro mandato à frente da Unidade.

Confira o discurso de Tania Araújo-Jorge:

No contexto da pandemia de Covid-19, a nova diretora destacou o impacto do agravo no Brasil e no IOC. Entre outros dados, Tania lembrou que o número de notas de pesar enviadas pela Diretoria do Instituo tornou-se quatro vezes maior nesse período. Ressaltou ainda que, no país, há uma sindemia, em que se somam o coronavírus, a pobreza e a fome.

"Nosso Instituto chora suas perdas, como o Brasil chora as mais de 465 mil vidas já perdidas nessa sindemia. Para dirigir o IOC nesse contexto, é preciso ter convicção de que nossa primeira preocupação deve ser a de viver e superar os desafios da Covid-19. Manter a sanidade mental, evitar o burnout, a depressão e a ansiedade e tratá-los quando acontecer. Cuidar dos nossos. Cuidar de nós para cuidar dos outros”, afirmou Tania.

Entre seus compromissos, a pesquisadora apontou o fortalecimento de parcerias entre equipes do IOC, da Fiocruz, do Rio de Janeiro, do Brasil e internacionais. Ressaltando como temas centrais de sua gestão a participação, a inclusão, a equidade e a confiança em todos do IOC, a nova diretora colocou com eixos do trabalho o alinhamento institucional e o enfrentamento dos problemas crônicos de infraestrutura física e de carência de pessoas no Instituto. Citou ainda a sustentabilidade, o recredenciamento dos laboratórios, a gestão participativa e colegiada e o fortalecimento do programa de qualidade, biossegurança e ambiente.

Tania Cremonini de Araújo-Jorge apresentou dez pontos que devem ser foco de ações nos primeiros 100 dias de sua gestão. Foto: Reprodução Canal IOC
 

Dez pontos que estarão no foco de ações nos primeiros 100 dias de mandato foram apresentados. Entre as prioridades, estão reuniões com as diversas equipes do IOC e foco na gestão; constituir e renovar as Câmaras Técnicas, com foco na participação e motivação; realizar o Colegiado de Doutores, contemplando a análise dos relatórios enviados pelos Programas de Pós-graduação do IOC à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e a prospecção de possibilidades de fortalecimento do ensino e da pesquisa através das pós-graduações.

Outros pontos são: acompanhar de perto a vacinação da comunidade do IOC contra a Covid-19 e preparar protocolos para quando for seguro o retorno ao trabalho presencial; perenizar as experiências de trabalho e estudo remoto onde for possível; criar a Coordenação de Cooperação e avançar nas discussões sobre a política de valorização de pessoas no Instituto. Além disso, iniciar a preparação da plataforma de vigilância escolar em saúde, desenvolver estratégias para viabilizar experimentos em condições de biossegurança animal 3 (NBA 3) e realizar interlocução com diversos setores para planejamento de captação de recursos.

A nova diretora encerrou sua fala com agradecimentos, destacando especialmente a parceria com os profissionais da equipe que comporá as vice-diretorias da nova gestão. São eles: Wania Regina Santiago, pela vice-diretoria de Desenvolvimento Institucional e Gestão; Elmo Eduardo de Amaral e Luciana Ribeiro Garzoni, na vice-diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação; Paulo Sérgio D’Andrea e Ademir Martins Júnior, na vice-diretoria de Ensino, Informação e Comunicação; e Maria de Lourdes Oliveira e Elizabeth Ferreira Rangel, na vice-diretoria de Serviços de Referência, Ambulatórios a e Coleções Biológicas.

“Quero agradecer a todas as pessoas do IOC, servidores, bolsistas, estudantes, eleitores nossos ou não, porque, como disse no dia da apuração, temos um acordo agora de enfrentar juntos as adversidades desse nosso tempo. Por mais que este auditório esteja vazio, devido às medidas de distanciamento social, ele está cheio de emoção e esperança. Obrigada a todos”, concluiu Tania.

Tania Cremonini de Araújo-Jorge e vice-diretores da gestão 2021-2025. Foto: Reprodução Canal IOC
 

Após a transição de mais uma diretoria, o IOC, 121 anos após sua criação, reforça seu compromisso com a democracia e com o SUS, e reafirma sua permanente mobilização pela saúde da população brasileira.

Tania Cremonini de Araújo-Jorge tomou posse como a diretora eleita para a gestão 2021-2025. Solenidade integrou evento virtual pelo aniversário de 121 anos do IOC
Por: 
max.gomes
maira
kadu

Para celebrar os 121 anos de fundação, completados no último dia 25 de maio, em data conjunta com a Fundação Oswaldo Cruz, o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) realizou um evento virtual nesta quarta-feira, dia 02 de junho. Na cerimônia, transmitida ao vivo pelo Canal do IOC no YouTube, foi realizada a transmissão de cargo do atual diretor do IOC, José Paulo Gagliardi Leite (gestão 2017-2021), para a diretora eleita a partir de processo eleitoral, Tania Cremonini de Araújo-Jorge (gestão 2021-2025). Clique aqui e fique por dentro de todas as informações sobre a eleição IOC 2021.

Assista à transmissão completa:

Respeitando as medidas sanitárias vigentes, com distanciamento social e ventilação adequados e utilização de máscara, a atividade contou com a participação da presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima. Na plateia virtual, além de membros do Conselho Deliberativo do IOC, estavam o assessor de Relações Institucionais do Gabinete da Presidência da Fiocruz, Valber da Silva Frutuoso; o professor da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ) e escritor, João Cândido Portinari; o presidente do Conselho Regional de Biologia da 2ª Região (CRBio-02), Vicente Moreira Conte; a diretora de Pesquisa do Instituto Pasteur, Paola Minoprio; o professor do Programa de Virologia da Faculdade de Medicina da Universidade do Chile, Aldo Gaggero; o pesquisador e diretor do Instituto Aggeu Magalhães (Fiocruz Pernambuco), Sinval Pinto Brandão Filho; e o ex-deputado federal, Paulo Rubens Santiago Ferreira.

Também compuseram a plateia virtual, Ligia Bahia e Alexandre Brasil Carvalho da Fonseca, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Hermano Castro, da Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP/Fiocruz); Valdilea Gonçalves Veloso dos Santos, diretora do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz); Helena Castro, vice-diretora do Instituto de Biologia da Universidade Federal Fluminense (Uff); e Eliane Cerdas Labarce, da Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul.

Da direita para a esquerda: Tânia Cremonini Araújo-Jorge, diretora do IOC eleita para a gestão 2021-2025; Nísia Trindade Lima, presidente da Fiocruz; José Paulo Gagliardi Leite, diretor do IOC eleito para a gestão no período 2017 a 2021. Foto: Gutemberg Brito (IOC/Fiocruz)
 

Para a abertura da solenidade foi executado o Hino Nacional Brasileiro, interpretado por músicos da Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí, no campus da Fiocruz em Petrópolis (RJ), composta por jovens de escola pública, iniciantes na carreira musical, regidos e coordenados por Celso Franzen.

Em seguida, a consternação diante da tragédia humana relacionada à pandemia de Covid-19 foi reconhecida com um minuto de silêncio. Como forma de solidariedade a todas as vítimas e familiares do novo coronavírus, uma homenagem audiovisual contabilizou cada uma das mais de 465 mil vidas perdidas.

Também foi reexibido o vídeo memorial originalmente lançado pelo Instituto em 11 de março, quando a declaração da pandemia da Covid-19 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) completou um ano.

Emocionado, o diretor do Instituto Oswaldo Cruz eleito para a gestão 2017 - 2021, José Paulo Gagliardi Leite, iniciou seu discurso destacando a trajetória centenária do IOC e demonstrando seu orgulho pelo trabalho desempenhado pelo Instituto, com ênfase no período da pandemia da Covid-19.

“Desde o início desta sindemia provocada pelo novo coronavírus, o SARS-CoV-2, agente etiológico da Covid-19, o IOC e a Fiocruz colocaram as suas reconhecidas capacidades e competência em pesquisa, diagnóstico, ensino, assistência e produção a serviço deste grande desafio mundial”, afirmou o diretor. “É com a Ciência que estamos enfrentando a mais grave crise sanitária da história. Temos em nosso DNA a certeza de que são os desafios que nos impulsionam adiante e nos fazem mais fortes”, completou.

José Paulo estendeu sua gratidão aos esforços e empenho dos mais diversos setores do IOC e da Fiocruz. “O nosso agradecimento e reconhecimento, aos profissionais da pesquisa, do ensino, da assistência, dos laboratórios de referência, das coleções, da comunicação, da gestão, da TI, aos colaboradores terceirizados e estudantes, que trabalharam e trabalham para manter o IOC e a Fiocruz ativos e na luta para ajudar a debelar esta sindemia. É o IOC e a Fiocruz, mais uma vez, cumprindo o seu papel histórico, fazendo valer o papel estratégico da instituição no fortalecimento do SUS”, ressaltou.

O diretor se solidarizou, ainda, com as vidas acometidas pela Covid-19. “Reiteramos nossa solidariedade a todas as pessoas que perderam um ente amado e querido em suas famílias, vítimas desta síndrome. Aqui no IOC e na Fiocruz não foi diferente. Perdemos amigos e colegas, que se foram e que deixaram o nosso coração apertado e sem a possibilidade de um abraço e de palavras de carinho e de conforto”, lamentou.

José Paulo Gagliardi Leite, diretor do IOC da gestão 2017-2021. Foto: Reprodução Canal IOC
 

A presidente da Fundação destacou a importância da realização da cerimônia de transmissão de Diretoria, mesmo diante do momento delicado que o mundo atravessa. “Em nossa instituição, os ritos de passagem de uma Diretoria para a outra foram sempre marcados por muita emoção e festividade. No entanto, diante da pandemia de Covid-19, não foi o que pudemos fazer. Mas, como bem colocou o meu colega José Paulo Gagliardi Leite, é também praxe na instituição trazer uma mensagem de esperança, que se dá pelo nosso compromisso democrático com a ciência, com o Sistema Único de Saúde (SUS) e com a solidariedade em nível global”, declarou.

Confira o discurso de Nísia Trindade Lima:

“Desejo um excelente trabalho à gestão que se inicia sob o comando da pesquisadora Tania Cremonini de Araujo-Jorge. Que seja um processo profícuo de construção conjunta, que permita ao IOC e à Fiocruz avançar naquilo que é a nossa missão: ciência a serviço da população brasileira”, acrescentou.

Nísia Trindade Lima, presidente da Fiocruz. Foto: Reprodução Canal IOC
 

Processo eleitoral e transmissão de cargo
O Instituto Oswaldo Cruz pauta a escolha de seus dirigentes em um processo eleitoral, cuja participação de centenas de integrantes da comunidade IOC no debate e na definição dos rumos do Instituto é de extrema importância.

O processo eleitoral para a escolha da gestão 2021-2025 contou com o primeiro processo de votação online na história do Instituto, realizada nos dias 10 e 11 de maio. O resultado das urnas foi homologado no dia 14 de maio pelo Conselho Deliberativo da Unidade, com a escolha de Tania Araújo-Jorge como a candidata mais votada, com 56,87% dos votos válidos (379,20 votos).

No discurso de transmissão de cargo, o diretor eleito para a gestão 2017-2021, José Paulo Gagliardi Leite, desejou que a próxima gestão seja de muito sucesso, muita unidade e muitas respostas. “Tânia e equipe, vocês bem sabem que assumir um cargo público neste momento de sindemia, de tristeza, de incertezas e de angústias não é uma tarefa trivial. Mas com a competência, dedicação, experiência e compromisso institucional que vocês têm, temos a certeza de que vocês irão superar estes e os futuros desafios e farão uma excelente gestão à frente do IOC. Desejamos muita força, superação e novas conquistas institucionais nestes próximos quatro anos”, projetou.

Confira o discurso de José Paulo Gagliardi Leite:

Na ocasião, José Paulo agradeceu os quatro anos de intensa dedicação dos vice-diretores Jonas Enrique Perales Aguilar (Pesquisa, Desenvolvimento tecnológico e Inovação); Elizabeth Ferreira Rangel (Serviços de Referência, Ambulatórios e Coleções Biológicas); Wania Regina Tolentino Santiago (Desenvolvimento Institucional e Gestão); e Marcelo Alves Pinto (Ensino, Informação e Comunicação).

José Paulo Gagliardi Leite e vice-diretores da gestão 2017-2021. Foto: Reprodução Canal IOC
 

“Vivemos, intensamente, estes quatro anos na gestão do principal instituto de pesquisa científica na área da saúde da América Latina. Recebemos o legado das gestões anteriores, aprimoramos e criamos novos processos institucionais. A próxima gestão irá aprimorar e criar novos processos e, assim, o IOC se consolida e contribui, cada vez mais, para a Ciência, para a formação de cidadãos com elevada qualificação, para o fortalecimento do SUS e contribuições para a melhoria da Saúde da população brasileira e mundial e, assim, consolidando a missão institucional”, concluiu José Paulo Gagliardi Leite.

Na sequência, foi realizada a assinatura do Livro de Ouro por José Paulo Gagliardi (diretor – Gestão 2017-2021), Tania Araújo-Jorge (diretora – Gestão 2021-2025), e pela presidente da Fundação, Nísia Trindade. A assinatura representa o registro simbólico da transmissão do cargo de diretor do Instituto.

Assinam o livro de ouro, da esquerda pra direita, José Paulo Gagliardi Leite diretor eleito para gestão 2017-2021; Tania Cremonini de Araújo-Jorge, diretora eleita para a gestão 2021-2025; e Nísia Trindade Lima, presidente da Fiocruz. Foto: Captura de tela (Canal IOC)

Após a assinatura, a nova diretora, Tania Cremonini de Araújo-Jorge, saudou a comunidade do Instituto e apresentou os compromissos para a gestão 2021-2025 em seu discurso de posse. Primeira mulher a assumir a Diretoria do IOC, no ano de 2005, e única mulher a assumir o cargo até o momento, Tania será a primeira pesquisadora a assumir um terceiro mandato à frente da Unidade.

Confira o discurso de Tania Araújo-Jorge:

No contexto da pandemia de Covid-19, a nova diretora destacou o impacto do agravo no Brasil e no IOC. Entre outros dados, Tania lembrou que o número de notas de pesar enviadas pela Diretoria do Instituo tornou-se quatro vezes maior nesse período. Ressaltou ainda que, no país, há uma sindemia, em que se somam o coronavírus, a pobreza e a fome.

"Nosso Instituto chora suas perdas, como o Brasil chora as mais de 465 mil vidas já perdidas nessa sindemia. Para dirigir o IOC nesse contexto, é preciso ter convicção de que nossa primeira preocupação deve ser a de viver e superar os desafios da Covid-19. Manter a sanidade mental, evitar o burnout, a depressão e a ansiedade e tratá-los quando acontecer. Cuidar dos nossos. Cuidar de nós para cuidar dos outros”, afirmou Tania.

Entre seus compromissos, a pesquisadora apontou o fortalecimento de parcerias entre equipes do IOC, da Fiocruz, do Rio de Janeiro, do Brasil e internacionais. Ressaltando como temas centrais de sua gestão a participação, a inclusão, a equidade e a confiança em todos do IOC, a nova diretora colocou com eixos do trabalho o alinhamento institucional e o enfrentamento dos problemas crônicos de infraestrutura física e de carência de pessoas no Instituto. Citou ainda a sustentabilidade, o recredenciamento dos laboratórios, a gestão participativa e colegiada e o fortalecimento do programa de qualidade, biossegurança e ambiente.

Tania Cremonini de Araújo-Jorge apresentou dez pontos que devem ser foco de ações nos primeiros 100 dias de sua gestão. Foto: Reprodução Canal IOC
 

Dez pontos que estarão no foco de ações nos primeiros 100 dias de mandato foram apresentados. Entre as prioridades, estão reuniões com as diversas equipes do IOC e foco na gestão; constituir e renovar as Câmaras Técnicas, com foco na participação e motivação; realizar o Colegiado de Doutores, contemplando a análise dos relatórios enviados pelos Programas de Pós-graduação do IOC à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e a prospecção de possibilidades de fortalecimento do ensino e da pesquisa através das pós-graduações.

Outros pontos são: acompanhar de perto a vacinação da comunidade do IOC contra a Covid-19 e preparar protocolos para quando for seguro o retorno ao trabalho presencial; perenizar as experiências de trabalho e estudo remoto onde for possível; criar a Coordenação de Cooperação e avançar nas discussões sobre a política de valorização de pessoas no Instituto. Além disso, iniciar a preparação da plataforma de vigilância escolar em saúde, desenvolver estratégias para viabilizar experimentos em condições de biossegurança animal 3 (NBA 3) e realizar interlocução com diversos setores para planejamento de captação de recursos.

A nova diretora encerrou sua fala com agradecimentos, destacando especialmente a parceria com os profissionais da equipe que comporá as vice-diretorias da nova gestão. São eles: Wania Regina Santiago, pela vice-diretoria de Desenvolvimento Institucional e Gestão; Elmo Eduardo de Amaral e Luciana Ribeiro Garzoni, na vice-diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação; Paulo Sérgio D’Andrea e Ademir Martins Júnior, na vice-diretoria de Ensino, Informação e Comunicação; e Maria de Lourdes Oliveira e Elizabeth Ferreira Rangel, na vice-diretoria de Serviços de Referência, Ambulatórios a e Coleções Biológicas.

“Quero agradecer a todas as pessoas do IOC, servidores, bolsistas, estudantes, eleitores nossos ou não, porque, como disse no dia da apuração, temos um acordo agora de enfrentar juntos as adversidades desse nosso tempo. Por mais que este auditório esteja vazio, devido às medidas de distanciamento social, ele está cheio de emoção e esperança. Obrigada a todos”, concluiu Tania.

Tania Cremonini de Araújo-Jorge e vice-diretores da gestão 2021-2025. Foto: Reprodução Canal IOC
 

Após a transição de mais uma diretoria, o IOC, 121 anos após sua criação, reforça seu compromisso com a democracia e com o SUS, e reafirma sua permanente mobilização pela saúde da população brasileira.

Edição: 
Vinicius Ferreira

Permitida a reprodução sem fins lucrativos do texto desde que citada a fonte (Comunicação / Instituto Oswaldo Cruz)