Portuguese English Spanish
Interface
Adjust the interface to make it easier to use for different conditions.
This renders the document in high contrast mode.
This renders the document as white on black
This can help those with trouble processing rapid screen movements.
This loads a font easier to read for people with dyslexia.
Busca Avançada
Você está aqui: Notícias » Variantes do coronavírus: pesquisadoras tiram dúvidas sobre transmissão, vacinação e sequenciamento

Variantes do coronavírus: pesquisadoras tiram dúvidas sobre transmissão, vacinação e sequenciamento

Especialistas abordam ainda a recente identificação da subvariante XBB.1.5 no país e a escalada de casos na China
Por Maíra Menezes11/01/2023 - Atualizado em 27/01/2023

A pandemia provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) entra, em 2023, no terceiro ano.

Apesar de ofertados gratuitamente, frascos e frascos de imunizantes correm risco de serem descartados devido à baixa procura pela vacinação contra a Covid-19, principalmente por aqueles que precisam tomar a dose de reforço recomendada pelas autoridades de saúde.

Com isso, variantes e subvariantes, como a XBB.1.5, recentemente detectada no país, não param de surgir. E milhares de novos casos ainda são notificados pelo mundo.

Para explicar o atual cenário da emergência sanitária, pesquisadoras do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) tiram dúvidas sobre transmissão, vacinação, sequenciamento genômico e notificação de casos.

Confira, abaixo, entrevistas especiais com as virologistas Marilda Siqueira e Paola Resende, ambas do Laboratório de Vírus Respiratórios e do Sarampo do IOC, referência em vírus respiratórios para o Ministério da Saúde e em Covid-19 nas Américas para a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Desde o começo da pandemia, a equipe atua no diagnóstico e sequenciamento genético do SARS-CoV-2, na capacitação de profissionais do Brasil e de países latino-americanos e no desenvolvimento de pesquisas.

Além de manter reuniões frequentes com profissionais do Ministério da Saúde e da OMS, os pesquisadores também contribuem para a resposta de saúde pública com a participação em diferentes grupos de pesquisa e comitês de especialistas.

Em entrevista, pesquisadora do IOC que integra o grupo consultivo da OMS fala sobre a variante XBB.1.5 e escalada de casos de Covid-19 na China
Uma das curadoras da principal plataforma de dados genéticos do SARS-CoV-2, pesquisadora explica a evolução do genoma do SARS-CoV-2
Especialistas abordam ainda a recente identificação da subvariante XBB.1.5 no país e a escalada de casos na China
Por: 
maira

A pandemia provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) entra, em 2023, no terceiro ano.

Apesar de ofertados gratuitamente, frascos e frascos de imunizantes correm risco de serem descartados devido à baixa procura pela vacinação contra a Covid-19, principalmente por aqueles que precisam tomar a dose de reforço recomendada pelas autoridades de saúde.

Com isso, variantes e subvariantes, como a XBB.1.5, recentemente detectada no país, não param de surgir. E milhares de novos casos ainda são notificados pelo mundo.

Para explicar o atual cenário da emergência sanitária, pesquisadoras do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) tiram dúvidas sobre transmissão, vacinação, sequenciamento genômico e notificação de casos.

Confira, abaixo, entrevistas especiais com as virologistas Marilda Siqueira e Paola Resende, ambas do Laboratório de Vírus Respiratórios e do Sarampo do IOC, referência em vírus respiratórios para o Ministério da Saúde e em Covid-19 nas Américas para a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Desde o começo da pandemia, a equipe atua no diagnóstico e sequenciamento genético do SARS-CoV-2, na capacitação de profissionais do Brasil e de países latino-americanos e no desenvolvimento de pesquisas.

Além de manter reuniões frequentes com profissionais do Ministério da Saúde e da OMS, os pesquisadores também contribuem para a resposta de saúde pública com a participação em diferentes grupos de pesquisa e comitês de especialistas.

Edição: 
Vinicius Ferreira

Permitida a reprodução sem fins lucrativos do texto desde que citada a fonte (Comunicação / Instituto Oswaldo Cruz)