Portuguese English Spanish
Interface
Adjust the interface to make it easier to use for different conditions.
This renders the document in high contrast mode.
This renders the document as white on black
This can help those with trouble processing rapid screen movements.
This loads a font easier to read for people with dyslexia.
Busca Avançada
Você está aqui: Pesquisa » Laboratórios » Laboratório de Hepatites Virais

Laboratório de Hepatites Virais

O Laboratório de Hepatites Virais do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) dedica-se ao estudo de fatores virais e do hospedeiro relacionados à resposta ao tratamento da hepatite C, à geração de conhecimento sobre a infecção oculta na doença, além de desenvolver pesquisas sobre a história natural da hepatite B e C. Como Serviço de Referência Nacional para Hepatites Virais junto ao Ministério da Saúde, mantém ambulatório de atendimento direto à população, assessora ações do Ministério da Saúde no tema e atua no diagnóstico da doença e no esclarecimento de casos inconclusivos das infecções pelos vírus das hepatites. 

Como Serviço de Referência, o Laboratório atende a demanda da rede pública de saúde para confirmação de diagnóstico sorológico e molecular de casos de hepatite viral aguda e crônica e presta serviços de assistência clínica ambulatorial por demanda espontânea e de pacientes em programa de tratamento antiviral encaminhados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O foco é o diagnóstico precoce dos casos agudos de hepatites, o esclarecimento de resultados discrepantes ou inconclusivos e o acompanhamento de profissionais de saúde envolvidos em acidentes biológicos.

Na área de desenvolvimento tecnológico, os pesquisadores atuam na padronização e validação de metodologias aplicadas a testes laboratoriais para diagnóstico de hepatites virais e de métodos alternativos de coleta de espécimes clínicos menos invasivos para o diagnóstico das hepatites B e C.

Seus pesquisadores também analisam fatores virais e do hospedeiro relacionados à resistência ao tratamento antiviral. Para isso, são aplicadas técnicas proteômicas na identificação de biomarcadores relacionados à resolução da infecção pelo vírus da hepatite C em pacientes respondedores e não-respondedores à terapia antiviral. Atuam, ainda, na detecção da infecção oculta pelo vírus da hepatite C em indivíduos com níveis séricos persistentemente normais de TGO, TGP e anti-HCV positivos. O estudo inclui pacientes que apresentaram resposta virológica após o tratamento antiviral, porém evoluíram com recidiva da infecção após a terapia, e pessoas com viremia indetectável.

Entre as parcerias estabelecidas pelo Laboratório, destaca-se sua participação no Programa Colaborativo Brasil-África e Distrito Sanitário Especial Indígena do Rio Negro (Amazonas), para investigação das hepatites virais em áreas remotas. São realizados trabalhos que avaliam a eficácia dos esquemas de vacinação realizados em áreas remotas, a implantação de testes no pré-natal na população indígena atendida e o rastreamento de hepatite B nos casos identificados, além da avaliação clínica.

Outra cooperação importante acontece com países do continente africano, incluindo a implantação de um laboratório universitário em Huambo, Angola. Com o mesmo país, são desenvolvidos estudos sobre a prevalência e os fatores de risco associados às hepatites B e C em profissionais de saúde nos hospitais de Huambo, Caála e Tchicala-Choloanga e sobre a transmissão materno-infantil de hepatite B em Kuito, Biê.